Carta 1 – Poema pra Depois da Vida

(…)

Mostre-me seus olhos, antes da neblina enfim sobrepor seu leito.

Faça algo inspirador, só respire, mexa-se, não há o que temer.

Aonde vais que não me levas contigo?

Permita-se passar um tempo aqui desse lado,

Prometo-lhe o que quiseres

Será nossa partilha eterna, faças isso.

Vamos!

Volte!

Não saia sem dizer adeus.

Ainda preciso dizer-lhe algo,

O que não lhe foi dito a tempo.

Seja, em um dia feliz, o que me vagueia.

Não desfaleça, seja mais forte, eu sei de sua luta.

Eu sei de seu pesar, mas como será sem você?

Diga-me. Preciso não permitir que se vá.

Mas,

Como em um dia escuro, seus olhos não mais me viram.

Eles se apagaram.

Como sua voz que já nem sei como é o som e tom.

(…)

Eu ainda estou aqui.

Diante de seu leito materno, a espera de um momento de remissão,

E me permito ser mais forte quando a vejo, Mas eu não a vejo a tantos anos.

Ainda que em meus sonhos.

Só nos meus sonhos.

Eu sempre desejo um pouco de você que já nem tenho mais.

 

 P.s. Poema dedicado a minha querida Avó que partiu em 2007 e ainda deixa tantas saudades que nem consigo descrever.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s