Compartilhando Infinit8s

Sobre que vos escreve existem infinitos a dizer.


Eu lembro exatamente quando me conheci pela primeira vez. Eu tinha 5 anos de idade. E sempre foi uma confusão de mundos que se perdiam, mas se completavam de alguma forma. Nasceu numa noite fria de inverno, mas quase não vem. O primeiro bebê de cinco irmãos, sempre foi a predileção, e cresceu cheio de conflitos e amor. Teve educação de avós e viveu com eles até os últimos dias seu suas vidas. Uma criança altiva, feliz e cheia de perguntas (algumas nunca respondidas) sobre o que via e o que sentia. Era comum  correr sem chinelos pelas ruas sempre procurando alguma coisa que inquietante. E será sempre aquela pessoinha que questionava tudo e todos, sempre tem algo a dizer sobre a vida na ponta da língua. Do signo de Aquário, foi, e é, um poço de sonhos até hoje. Pensa que tudo tem que começar de dentro da mente e com muita força e esforço saí goela a fora.

Seu primeiro beijo foi no cabo de vassoura do banheiro (não é brincadeira, rs) e achou estranho porque deveria ter sentido o mesmo que os moços da TV sentiam. Mas era uma vassoura, não é mesmo?, pensou. (…) Passou a infância com muitos amigos(as), mas desde sempre soube que nada é eterno se não crermos na eternidade. Logo descobriria que sua maneira incomum de ver o mundo tiraria tudo que tinha, mas não o que acreditava. Esses amigos nem existem mais, no entanto outros vieram pelo caminho.

(…)

A liberdade existe, não é mesmo? Ao menos a liberdade do amor, sempre soube que independente de quem amasse queria ser feliz. Então resolve apostar todas as fichas no amor. O amor que vem de todas as formas e expôr em palavras esse amor que sente tanto…

De poemas, de versos incomuns, de cantar no banheiro e nas horas vagas, amante da músicas e de cachorros. Senti ciumes e adora organizar as coisas, mas os pensamentos não. Sabe exatamente o que deve ser e tenta ser melhor o quanto pode.

(…)

Sempre falando sozinho pela casa e reclamando pra si sobre tudo. Aceita a sua visão de mundo, mas não entende como pode haver tanto despropósito existencial por onde anda. 

E sonha, ah sonha. Tudo que evoca é amor. Tem lá os seus imaginários (amores e sonhos). No entanto vive a vida real e seu desejo de encontrar sossego junto é algo quase palpável. 

E só quer ser feliz se encontrar, talvez a ordem mude, mas no fim é isso mesmo. Faz tempo que vem tentando, mais no fundo sabe que a felicidade é um estado de compensação que pode durar um amor pela vida inteira ou uma noite de inverno enquanto vem ao mundo sem saber o que lhe espera e domina. Mas toda sua motivação está dentro do seu peito, no diário que escreve de vez enquanto e nas palavras de amor que joga ao mundo.


E ainda vai ser gente!

Viva seus Infinit8s do jeito que você sonhar. E sonhe!

12301719_189475534731051_6077986871895740942_n

 

Anúncios