Ternidade

“Então hoje eu apenas me permiti lamentar o fato de não estarmos juntos e aquele primeiro momento só existir na minha cabeça e não aqui fora.”

tumblr_lx7fvhmEQw1qfw98fo1_500_large.jpg

Hoje eu senti falta do seu beijo. Senti uma saudade quase cortante da primeira vez em que você me abraçou, do encaixar de nossas mãos. Eu não imaginava que poderia acontecer, essa saudade, esse desencaixe. Eu havia sentido todas as coisas boas do mundo, menos a sensação do entrelaçar perfeito de nossos dedos, do cruzar das dobraduras, da maciez, no calor. Meu coração nunca havia sentido aquele frisson, só sentiu as partes ruins do desprendimento. Nunca a do pertencer. Nunca aquele estardalhaço sutil de coisas boas que você me transmitia com aquele toque. Por isso eu senti falta do êxtase que meus poros absorvia quando seus dedos macios percorreram meu corpo pela primeira vez. Ali, naquele quarto quase no escuro, um silêncio de ouvir o peito bater, o seu cheiro, o meu cheiro. Naquele instante era a primeira vez que eu vivia todas aqueles emoções juntas. Eu sinto falta da sua gargalhada, da sua voz quase rouca, do seu braço forte em volta do meu pescoço enquanto eu dormia, do seu hálito gostoso. Eu sinto falta de todas as suas versões mais estranhas… Eu lembro de nós dois e a única palavra em mente é saudade, porque não há como possa descrever a vontade de reviver aqueles momentos. Eu me perdi em você como que se une ao seu par em uma dança harmônica. Eu me entrelacei ao seu corpo, naquela noite, naquela vida, como quem deseja apenas aproveitar a brisa de outono enlaçado por um edredom macio. Eu me lancei de tal modo na sua versão mais bonita e esqueci de deixar a porta aberta pro caso de eu querer sair na primeira briga, na primeira conversa séria desnecessária, na primeira lágrima… Pra não estragar tanto as coisas. Mas eu aprecio as partes boas de tudo. Eu sinto saudade de apreciar todo o contorno de uma vida que era pra ser feliz e se tornou pesada quando a leveza não pode ganhar espaço dos sonhos que construímos juntos. Então hoje eu apenas me permiti lamentar o fato de não estarmos juntos e aquele primeiro momento só existir na minha cabeça e não aqui fora.

14938230_368616416816961_4965405759731604654_n

Encontre Um Amor Recíproco

“O amor?! Ah, o amor, o amor é como um abraço em que nos aconchegamos em dias chuvosos. Ele, está nos pequenos gestos, nas pequenas frases que preenche de afeto nossas diárias de preocupações.”

pre-kiss-20101

De todas a formas possíveis de demonstrar amor; a RECIPROCIDADE me atrai muito. Porque eu sempre acreditei na leveza de se construir a tranquilidade de uma doação mútua e saudável, quando encontramos alguém com quem decidimos partilhar nossa vida, passar por esses dias de dificuldades e glória. Alguém com quem podemos relaxar e preencher de igualdades e carinho mútuo toda a relação.

Eu gosto de cada pedaço das partes boas que o amor de gestos recíprocos me oferece. Me atraio por relacionamentos construído de olhos atentos ao outro, me conduzindo a uma linda jornada pelo mundo da outra pessoa esperando para que o meu também seja desbravado. Pois, uma vez que agarramos os sonhos e o mundo desta pessoa, dizemos a ela: “Eu estou aqui, pode ficar tranquila(o).”, “Juntos vamos resolver isso.”. Dessa forma nosso coração afirma: “Eu amo cada parte boa que você tem e estou aqui pra te conduzir nas partes não tão boas assim, temos uma vida pela frente.”
Quando somos recíproco e os nossos ouvidos emocionais estão tão abertos a um abraço quanto nossos próprios braços, demonstramos ao outro que também estaremos ali quando for a vez deste precisar de aconchego e verdade. De sinceridade e paz. Porque amar é, mesmo estando no caos, esconder esse turbilhão quando o ‘nosso amor’ não está bem. É ouvir quando tudo o que queremos é falar, é ficar mais perto quando o que mais queremos é um pouco de espaço.
Não, não chamo isso de anulação. Chamo isso de RECIPROCIDADE no amor. Porque quando estamos plenamente sintonizados com outro, não haverá um combate de coisas ruins, não haverá espaço para uma disputa de quem teve o dia pior.
Haverá procura, ajuda.
Haverá companheirismo.
Quando estendemos nossa mãos ao outro e o abração com braços e ouvidos, mesmo não estando tudo tão bem, e estabelecemos essa conexão de mutualidade, nós sabemos que o outro fará exatamente a mesma coisa por aquele ‘nós’ que estamos construindo e, nesse instante, percebemos que não poderíamos agir de outra forma senão com RECIPROCIDADE. O amor?! Ah, o amor, o amor é como um abraço em que nos aconchegamos em dias chuvosos. Ele, está nos pequenos gestos, nas pequenas frases que preenche de afeto nossas diárias de preocupações. “Oi, tudo bem?”, “Como foi o seu dia?”, “Que saudades de você!” “Eu te amo, sabia?!”. O amor está na delicadeza da procura permitida em que um ‘eu e você’ se transforma em um lindo ‘nós’. O amor está na doação de si e no recebimento do outro. O amor, eu lhe digo: Está muito mais na oferta do que na procura. Está na entrega recíproca de se permitir ser de si e pertencer a alguém.

14938230_368616416816961_4965405759731604654_n

Amor Nosso de Cada Dia

“A verdade é essa, sinto que nosso amor é transcendente.”

c__data_users_defapps_appdata_internetexplorer_temp_saved-images_tumblr_lqrpqdebzu1qmb6f9

Gostaria de falar o quanto eu o amo. Sim, pelas vezes que abriu mão de você, do seus amigos e até mesmo de sua família por mim. Das vezes que você ficou do lado desconfortável da cama só para que eu dormisse melhor, ou até mesmo quando divide seu travesseiro comigo. Dizer que sou grata quando faz meus lanches, coloca minha comida no meu prato, só para que eu não me atrase ou quando estou muito cansada. Amo sua maneira de sorrir; sempre um sorriso bobo a me admirar. Seja quando estou com maquiagem ou ao natural. Seja no final do dia quando estou me sentindo “destruída” ou no amanhecer, quando estou “desproduzida”.

Amo quando diz que me ama.
É sincero.
Sinto alegria em suas palavras.

Sempre seguidas de um “cheiro no cangote”/abraço bem apertado – aqueles de urso –, fortalecendo ainda mais nossa cumplicidade.
Amo quando jogamos conversa fora, quando um dos dois está sem sono e quer falar de seus sonhos, só pra ver se eles ficam mais próximos de se realizarem. Amo quando me ama, sei que é um amor além da carne. Basta um beijo em meu rosto, ou em minha testa para que eu sinta algo sublime entre nós.

A verdade é essa, sinto que nosso amor é transcendente.

É família.
É parceria.
É encanto.
É amor.

Um texto de Bruna Pinheiro.
P.s. Obrigado Bru, por ser esse mar de sensibilidade. ❤

14938230_368616416816961_4965405759731604654_n

Namore Quando Estiver Pronto Para Se Entregar

“NÃO esqueça de conquistar e ser conquistado todos os dias. Não esqueça! Não se acostume com a ideia de ter alguém. Tenha alguém e mostre a este alguém porque você o(a) escolheu. Alimente esse relacionamento que você decidiu construir pra ti pelo tempo que ele durar. E que seja pra sempre.”

 
livre.jpg
A dinâmica (me parece) funciona da seguinte forma: Você gasta todo o seu arsenal de conquista, que inclui: Textos de carinho, flores, chocolates, mensagens carinhosas e por aí vai… Você se esvazia de ideias e depois elas se tornam cada vez mais raras. Mas, no início existe todo esse amor que te impulsiona a mover a lua de lugar pela pessoa? E depois? O que sobra pra depois? Não deveria ser melhor? Você já conhece a pessoa. Sua vida, sua rotina, seus gostos e paixões… Mas, que estranheza é essa que faz tudo cessar assim tão rápido quando na verdade deveria ser ainda mais bonito? Me parece que, com o tempo, ou quando você acha que já conquistou o suficiente, pode parar e relaxar.
Tipo: “Ela já tá na minha. Agora é só correr pro abraço.”
 
 

NÃO CARA, NÃO!

 
Você tem que saber que namoro é algo sério. É um compromisso. E é preciso coragem pra namorar. Você precisa estar pronto. Não existe um meio termo. Ou você se sente preparado pra dividir uma parte da sua vida com aquela pessoa que seu coração escolheu, ou não. E isso inclui uma conquista constante. Uma entrega por vez Eu acho que, se não é possível traspor as barreiras das dificuldades e com o tempo (onde toda a conquista é realmente necessária) as pessoas simplesmente perdem a mão, então claramente não havia um compromisso de fazer dar certo.
 
Fico pensando que temos muito mais do outro quando o amor ainda é um ideia do que quando este se torna mais solido e forte e aí é que precisamos coloca-lo para fora além das palavras. Ganha-se muito mais chocolate e visitas surpresas e beijos e carinho e pequenas rotinas bonitas, quando ainda nem conhecemos direito a pessoa do que quando já sentimos que realmente queremos ela na nossa vida, pelo tempo que for possível. Quando você se acostuma e tudo parece bem, então esse tudo desanda ou pelo menos para de ser mágico. Isso me soa como uma nota errada numa canção que deveria ser bonita, um erro.
 
Porque você alimenta o coração de alguém que depois vai ter que retirar dessas reservas (das lembranças dos primeiros dias felizes) o suprimento pra o relacionamento continuar dando certo, se amor é construção diária, entrega cotidiana?
 
NÃO esqueça de conquistar e ser conquistado todos os dias. Não esqueça! Não se acostume com a ideia de ter alguém. Tenha alguém e mostre a este alguém porque você o(a) escolheu. Alimente esse relacionamento que você decidiu construir pra ti pelo tempo que ele durar. E que seja pra sempre…
(…)
 14938230_368616416816961_4965405759731604654_n
 

 

Desaprisionar-se Não É Tão Difícil.

Não sou ou quero uma redoma de contemplação por meus méritos ou pelo meu caráter. Eu quero o confronto das dificuldades para que eu possa crescer. E aflorar. E conhecer mais de mim. Eu desejo o mesmo a você.

tumblr_lxypyziPGB1qf63rjo1_500
Existe uma parte minha que sempre desejou expandir-se, uma parte que por estar sempre reprimida e aprisionada também se mostrava sempre a espreita, pronta para emergir. De algum modo essa mesma parte, tantas vezes subjugada, esteve sempre a espera de uma oportunidade para se libertar. Se mover. Mas que eu a suplantava. Era mais fácil manter-me alheio a um eu desconhecido (eu sempre tive mania de controle) no entanto sempre me confrontei. Sempre me propus. Sair da zona de conforto. Embora tenha existido momentos, quando estive insatisfeito com meus tropeços e erros (desses de caso pensado), que não admiti que poderia ser diferente. Eu poderia e precisava aflorar mais. Como um elástico humano. Aí me veio muitas vezes aquela válvula de escape ilusória de que todos temos todo tempo do mundo. A instabilidade que vez ou outra engolimos goela abaixo. Eu me apeguei a essa visão distorcida e saí com uma pá de verdades no bolso sabendo que eu deveria ser eu e tudo daria certo. Mas não é bem assim.
Muitas vezes somos apenas um projeção do que somos. Uma repressão, poderia dizer. Muitas vezes eu sei que o que faço ou digo, ou penso, não condiz com quem eu devo ser e eu tenho que voltar ao início e recomeçar, sabe porque faço isso? Eu devo a mim e aos outros o que sou de melhor e pior. Não podemos reprimir as dificuldades. Sim, eu tenho que me fazer conhecer como um todo. Porque eu não sou apenas a flor. Eu tenho espinhos. Isso é ser humano. Não sou ou quero uma redoma de contemplação por meus méritos ou pelo meu caráter. Eu quero o confronto das dificuldades para que eu possa crescer. E aflorar. E conhecer mais de mim. Eu desejo o mesmo a você.
Transforme-se.
14938230_368616416816961_4965405759731604654_n

Quem Além De Você Cap 5

tumblr_m1oy0e5vty1qeccpho1_500_large

 Cap 5.

28/03/2012 21hrs.

Por trás das palavras, da raiva de tudo.

Eu estava completamente inquieto. Desnorteado. De um jeito que nunca me senti. – Eu entreguei a minha vida a ele. Eu senti por ele algo que jamais imaginei sentir por alguém. Mas como eu chamei esse sentimento de amor? Essa anulação de mim mesmo? – Eu tentava convencer a mim mesmo diante do espelho em uma noite vazia. Essas noites são frequentes desde que eu comecei a entender o quanto eu errei em permitir que alguém invadisse meus sonhos e os destroçasse dessa forma.

(…)

Horas antes depois que Marcos subiu para o seu quarto eu ainda fiquei muito tempo onde estava. Cada palavra que havia escutado eu ainda digeria da pior forma possível. Eu não tinha ideia do quanto ainda podia suportar. Mas estava lá e não imaginava o que fazer em seguida. As minhas perguntas estavam todas respondidas, mas era como se as respostas estivessem jogadas no chão e eu não quisesse aceitá-las. Eu não podia acreditar que a mesma pessoa que me dizia me amar pudesse agir dessa forma. O que ele tem? Porque age assim? Como isso pode ser amor? Imediatamente eu pensei em toda minha vida amorosa e em como eu podia não aceitar se tudo estava ali, na minha frente. Eu não merecia tudo isso, eu pensei, tomei o fôlego, o que ainda me restava, e decidi encará-lo.

Não sei quanto tempo havia se passado, e enquanto subia três degraus por vez, era tomado por uma mistura de sentimentos que nunca havia sentido. Sentimentos que eu não poderia descrever se eu tentasse. Eu tinha que acabar com aquilo de uma vez por todas. Não podia mais amá-lo e precisava sair daquele lugar. Quando eu entrei no quarto dele senti no mesmo instante que ele sabia o que eu havia descoberto e o peso que todas as revelações me causaram, a partir daquele momento tudo entre nós iria desandar (ou pelo menos era o que eu imaginava), no entanto ele não parecia se importar com nada daquilo. Eu procurava o ar, mas não encontrava. Nossa relação nunca foi real, era só nisso que pensava. Eu repetia esse mantra para me manter acordado do transe em que estava preste a mergulhar. O fato é que ele nunca esteve ali por inteiro. Ele nunca sentiu de verdade. – Por que você mentiu para mim? – Eu não conseguia sequer olhá-lo nos olhos. Tentava conter minhas lágrimas e media minhas palavras para não desmoronar

– Eu não menti pra você. – Mantendo-se impassível a toda aquela situação ele sequer conseguia encarar a verdade. Sem tirar os olhos do telefone que tinha nas mãos, ele continuou:- Do que você está falando? Eu não estou entendo.- Eu soube de tudo, não há porque me esconder a VERDADE. Eu acabei de conhecer seu vizinho de quarto e na minha tentativa de tentar ajudá-lo, ele inocentemente me revelou tudo o que você me esconde há meses. – Minhas mãos já começavam a tremer e minha boca seca impedia que todas as palavras saíssem de uma maneira audível e convincente.

– Não há nada que você não saiba. – Como ele conseguia ser tão frio?

– Eu acreditei em você. Eu confiei no que você chama de ‘eu te amo’. Como você pôde? – As minhas palavras saiam e eu mal conseguia ver as minhas coisas espalhadas pelo quarto, apressadamente recolhi o máximo que pude e num instante minha mochila estava pronta. Eu só queria sair dali.

As minhas mãos tremiam ainda mais.

Olhei para o relógio e percebi que era bem tarde e provavelmente não conseguiria pegar o último ônibus de volta pra casa. Talvez ficasse toda a noite num banco frio da rodoviária. Mas era muito óbvio que eu não queria sair dali. Existia uma parte de mim que gritava para tudo fosse desfeito. Que eu acordasse e percebesse que tudo não passava de um sonho. Eu queria apenas que ele entendesse tudo o que eu estava sentindo. Queria que ele simplesmente sentisse o peso que tudo o que havia descoberto tinha causado em mim e na nossa relação. Uma relação que nunca existiu. Eu queria que ele segurasse meu braço e me impedisse de sair. Que ele me abraçasse e tudo mudasse. Assim como aquela canção do Leoni (50 receitas) eu me sentia um tolo por todas as coisas que eu construí.

Eu fiz tudo sozinho.

TUDO.

É estranho como os sentimentos vão se moldando e num instante o que era essencial pode se tornar tão triste… Tudo vai ia se esvaindo das minhas mãos como areia. Era todo um drama de alguém que encontra no amor a melhor saída. Tudo isso se tratava de alguém que tinha muito mais do que uma autoestima falível; se tratava de alguém que precisava urgentemente se encontrar em todo o caos.

Eram 21 horas da noite e a única coisa em que eu conseguia pensar era em como eu havia chegado ali. Como eu podia ter me anulado ao ponto de me manter cego diante do óbvio. Como não vi que eu amava sozinho e carregava sozinho esse relacionamento nas costas.

– O que você está fazendo? Para onde vai a essa hora. Ele disse isso ainda mexendo no telefone mantendo-se calmo de uma forma que me perturbava.

– Não consigo olhar na sua cara depois de tudo isso. – Respondi. – Eu preciso sair daqui.

Quando as palavras saíam da minha boca eu sentia minha garganta seca e cada letra rasgava a minha alma como nunca antes. Sempre fui do drama, mas dessa vez era real. Estava bem diante das minhas perspectivas, estava além do que podia compreender. Estava acima do meu medo de não dar certo. Eu me sentia em desvantagem comigo mesmo. Esses sentimentos que sentimos quando nos anulamos por alguém. Quando entregamos tudo.

Encontrei qualquer camisa na pilha de roupas sobre a cama e vesti. Cada fibra do meu corpo queria apenas ficar ali. Eu nunca quis ir embora.

Eu nunca quis perde-lo.

Mas acabei me perdendo mesmo assim.

(…)

Em meio às lágrimas eu saí porta a fora. Cada degrau significava o desejo de que ele pudesse me impedir (não queria ir embora. Eu tinha medo do que poderia encontrar nas ruas e além do mais eu não queria perde-lo. Mesmo sabendo que nunca o tive de verdade), mas ele não veio. Ele escolheu encarar o quarto e toda a bagunça que eu deixei. Ele preferiu deixar que o silêncio respondesse por ele e eu não podia fazer nada. Já tinha gritado demais, chorado demais e quebrado coisas demais. Mas eu nem sei pra onde eu ia. O amor nos faz inventar meios escusos de se alto sabotar. Odeio essa minha mania de encontrar frases de efeito para me convencer das coisas tão óbvias. Eu não sabia por que esperar, mas esperava que ele sentisse.

Foi um erro.

Entendo que relacionamento é escolha, tentativa. Claro que os sentimentos são essenciais para determinar a buscar pela tentativa de dar certo com alguém, mas não pode ser o centro de tudo. Ainda que ele tivesse defeitos e me machucasse, existia uma parte de mim que esperava que um dia tudo aquilo fosse superado e que talvez, só talvez, seriamos felizes, afinal ele era o meu destino. Ou era assim que eu queria vê-lo. Eu não podia deixá-lo partir. Mas quem estava partindo era eu. Até descobrir que eu não tinha forças para deixá-lo. Eu não tinha força para me livrar desse martírio permitido que foi minha vida ao lado dele.

Quando voltei a pensar em tudo isso já estava sentado nas escadas do prédio esperando que a única pessoa que pudesse desfazer todo aquele nó na minha garganta me resgatasse. Me levasse pro quarto e me fizesse feliz.

Cansado de esperar eu voltei. Sim, voltei ao quarto.

E foi pior do que eu imaginava.

Eu queria apenas estar em casa.

(…)

Capítulo 4

PRÓXIMO CAPÍTULO EM BREVE!

Seja Infinito. ❤

TAG: Six On Six.

13669639_269299963440435_2457763786414522553_n

1. Liste e descreva as 6 tarefas que deseja concluir até dezembro;
2. Indique seis blogs para a Tag;
3. Avise-os que foi marcado na Tag mandando o link do post;
4. Envie o link do seu post ao blog que lhe indicou pra Tag como agradecimento.

Sempre que eu penso em uma lista de desejos me pergunto sobre o esforço que vai ser necessário para conseguir atingir todos os itens da lista, porque sempre existe muito mais por trás dos desejos. É preciso engajamento, pouco de sorte e perseverança. Sonhos requerem lutas. Mesmo os menores dos desejos nos convida a uma jornada de desafios para realizá-los. Então se eu posso desejar alguma coisa (nesse caso 6 desejos) até dezembro, vamos lá:

01 – Estou escrevendo um conto em parceria com um amigo e espero até o fim do ano concluí-lo. (O mesmo será publicado aqui!);
02 – Até lá também quero ter a certeza que iniciarei meu curso de Psicologia;
03 – Espero até o fim do ano também concluir meu livebook (Quem Além de Você?). Estou em processo de mudanças e gostaria de encerrar o ano com a obra pronta;
04 – Mesmo estando um pouco distante do blog, espero ganhar mais visibilidade e alcançar mais amigos e criando mais conteúdo;
05 – Quero estar mais com minha família e meus amigos;
06 – O meu último desejo é acreditar que todos conseguiram encontrar forças para realizarem o máximo de desejos que conseguirem. Então amigos: Força e sorte pra tudo que desejarem.

images

Fico muito grato pela indicação. Quando comecei o blog nem imaginava que alguém pudesse le-lo, hoje fico muito feliz por alcançar uma pessoa que seja e cada comentário e like vocês me ajudam a sorrir.
Fortes abraços a todos!

TAG indicada pelo blog Devaneadora de Ideias

Obrigado Mayara K. ❤

(…)
Indico abaixo seis amigos a também participarem da corrente de desejos realizados.

O Terceiro Ato

Geek Verso

Coisas da Dea

Meus Fatos

Recortes do Tempo

Setorial Jovem